6 de jun de 2013

Capítulo 4 - O sinal dos antigos aliados


- Kurome-sama você precisa se levantar. Vamos, temos que chegar a praia – diz Yamakawa Emi.

A jovem Emi estava assustada ao ver o peito de Kurome todo cheio de marcas negras, era a primeira vez que ela via aquilo.

- Kurome-sama, por favor, me diga que essas marcas não vão levar você à morte – fala Emi.

- Está tudo bem Emi-dono logo essas marcas vão sumir e eu vou melhorar. Você não deveria estar aqui. É muito perigoso – diz Kurome.

- Não se preocupe comigo. Eu sabia que deveria vir ajudá-lo. Olhe só como você está, vamos levante-se, precisamos chegar à praia rapidamente.

A jovem Emi pede para Kurome que se apoie em seus ombros com apenas um braço em volta do seu pescoço. Com a técnica do Clã Yamakawa eles conseguem se mover rapidamente pelo caminho em direção à praia.

Yokaze e Shirou estão na praia atacando os guardas em surdina. Yokaze olha para o mar e vê três pequenos barcos que haviam saído da grande embarcação se aproximando da praia, ele avisa Shirou apenas com gestos para preparar o grupo que estava com ele. Shirou corre em direção ao grupo de pessoas que estavam escondidas perto de algumas árvores.

- Ouçam-me, os barcos já estão chegando fiquem preparados para embarcar o mais rápido que puderem – diz Shirou.


Hayane e o grupo que ela estava acompanhando finalmente chegam à praia. Ela pede para que todos fiquem abaixados e que se escondam perto das arvores.

- Esperem o sinal para irem para os barcos, fiquem preparados – fala Hayane.

Os aproximadamente quarenta soldados montados estavam cada vez mais perto da praia, usando a estrada principal o tempo para chegar era bem menor. O falcão de Yokaze voava sobre os soldados a uma altura que eles não o percebiam, assim Yokaze conseguia ter noção do tempo que lhes restava para concluir a operação.

Os guardas da praia foram todos derrotados, nada ali poderia atrapalhar a operação. Yokaze, Shirou e Hayane correm para a estrada.

- Os soldados chegaram aqui logo. Shirou, Hayane precisamos fazer o possível para atrasa-los – diz Yokaze.

Yokaze sobe em uma árvore, espalha dezenas de tetsubishis pela estrada enquanto Hayane se esconde atrás de uma árvore na beira da estrada ao lado de onde a armadilha estava sendo armada.

Enquanto isso Kurome e a Jovem Emi estavam próximos da praia.

- Emi-dono... você acha que todos estão bem – diz Kurome.

- Não se preocupe Kurome-sama, tenho certeza que Yokaze, Shirou e Hayane estão se esforçando ao máximo para que tudo dê certo. Além disso, eles têm muito talento, são os orgulhos de suas famílias – afirma Emi.

Yokaze podia criar estratégias e táticas de combate com muita facilidade, do seu Clã herdou o Kazejutsu que dava a ele o controle do vento. Shirou possuía Genjustu que também foi herdado de seu Clã. Manipular a mente de seus adversários era o seu ponto forte. Hayane possuía o Kagejutsu, usava sua técnica para copiar a face e a voz das pessoas, precisando apenas ver e ouvir a voz de seu alvo. Hayane diferente dos outros teve um mestre que lhe ensinou o Kagejutsu pois seu Clã aperfeiçoava as técnicas com armas e corpo a corpo o Ninjutsu.

Os três barcos finalmente chegam à praia. Dentro de cada barco havia um marujo e um Cavaleiro. Os três Cavaleiros saem dos barcos, eles não vestiam armadura, mas carregavam uma lança e um escudo gigante em suas costas. Eles chegaram à areia seca da praia e então o cavaleiro mais velho dentre eles grita.

- NOSSOS ANTIGOS ALIADOS PRECISAM DE NOSSA AJUDA ENTÃO AQUI ESTAMOS.

Eram essas as palavras. Todas as pessoas dos três Clãs que estavam escondidas esperavam por esse sinal e foram então em direção aos barcos.

Os soldados montados estavam prestes a passar por cima da armadilha que Yokaze havia feito na estrada. Então os cavalos que estavam na linha de frente foram levados ao chão, seus cascos foram machucados pelas tetsubishis e um dos cavalos machucados carregava o Comandante dos soldados. O comandante cai de seu cavalo e machuca seu ombro e joelho.

- Não percam tempo! Continuem! Sigam em frente – diz o comandante.

Todos os soldados montados continuaram a cavalgar em direção à praia. O comandante e mais alguns feridos pela armadilha se preparam pra seguir em frente. No mesmo momento Yokaze, que estava na árvore acima deles ataca os soldados arremessando várias shurikens. Hayane sai de onde estava escondida arremessando suas bo-shurikens. Todas as lâminas de arremesso acertam seus alvos.

Os soldados que passaram pela armadilha estavam seguindo em frente e de repente todos param. Shirou estava no meio da estrada de olhos fechados segurando um pedaço de papel entre seus dedos, o papel estava altura de seus olhos e nele havia um selo que brilhava exatamente igual a lua que iluminava aquela noite.

A frente de Shirou havia mais de 30 soldados armados... 

Autor: Keishiru
Editor: Fê
Supervisão: Kayo
Arte: Takehiko ; Eiji


Bônus: Artes dos fãs 

A maldição de Kurome

Desenhado por Ana Carolina
Para ver mais desenhos clique aqui.